Produto adicionado com sucesso!
Produto removido!

Box - Era Vargas de 30 a 35 - ( 1930 - Tempo de Revolução - 1932 - A Guerra Civil - 1935 - O Assalto ao Poder )

  • Referência:   7898524790742
  • Fabricante: Eduardo Escorel
  • em 0 avaliações.   Dê a sua avaliação!
R$ 465,00
ou 3x de R$ 155,00 sem juros
ou em até 12x de R$ 47,12 no cartão
Esse produto encontra-se indisponível. Deixe seu contato que avisaremos quando chegar.
    • 1xdeR$ 465,00sem juros
    • 2xdeR$ 232,50sem juros
    • 3xdeR$ 155,00sem juros
    • 4xdeR$ 128,87
    • 5xdeR$ 104,45
    • 6xdeR$ 88,08
    • 7xdeR$ 76,21
    • 8xdeR$ 67,56
    • 9xdeR$ 60,81
    • 10xdeR$ 55,17
    • 11xdeR$ 50,78
    • 12xdeR$ 47,12

.
O título 
Era Vargas de 30 a 35, com o qual foi lançada a caixa com três DVDs de documentários de Eduardo Escorel, pode dar a impressão de que se trata de uma biografia de Getúlio Vargas. Mas não. Os filmes são uma crônica do turbulento cenário político brasileiro dos anos 1920 e início dos 1930.

Dos movimentos operários da década de 1910, passando pelo levante dos tenentes paulistas em 1924, pela Revolução de 1930 e pelo Movimento Constitucionalista de 1932, até a instauração do Estado Novo, está tudo lá. As cenas de época são entremeadas por entrevistas com especialistas de renome, como Boris Fausto, Hernâni Donato, José Murilo de Carvalho, Antonio Candido e Paulo Sérgio Pinheiro (que participa da elaboração do terceiro filme).

Os três filmes: 1930 - Tempo de Revolução1932 - A Guerra Civil e 1935 - O Assalto ao Poder fazem parte de um projeto idealizado e iniciado nos anos 1990 pelo produtor Cláudio Kahns e pelo cientista político André Singer, com a direção de Eduardo Escorel.



1930 - Tempo de Revolução

Refletindo os últimos anos da República Velha. Os brasileiros do início século XX, que começara realmente apenas em 1914 com a eclosão da Primeira Grande Guerra, entravam nos anos 1920 condenados à modernidade. O ambiente era de insatisfação com as velhas oligarquias, quando a política Café com Leite ainda vigorava, alternando a manutenção do poder entre São Paulo e Minas Gerais, e com o voto aberto que facilitava a fraude por meio do cabresto. Em contraste surgiria uma nova classe intelectual disposta a romper com o passado e abrir as portas para a modernidade, como os artistas que escandalizaram o país na Semana de Arte Moderna. Esse era o pano de fundo para a narrativa de Edwin Luisi.

Permeado por depoimentos de historiadores, como Boris Fausto e Antonio Candido, entre outros, o filme é ilustrado com imagens poucas vezes vistas dos primeiros focos de revolta, como o movimento tenentista de São Paulo, ocorrido em 1924, e outros eventos políticos que antecederam a tomada do Palácio do Catete e a chegada de Vargas ao poder em 1930.


1932 - A Guerra Civil

Reflete a insatisfação de São Paulo e outros Estados com o governo de Getulio Vargas, que já demonstrava características de uma ditadura e era acusado de apenas trocar uma oligarquia por outra. A revolta paulista culminou em uma guerra civil que durou três meses, resultando em cerca de 800 vítimas, mais do que o número de brasileiros mortos durante a Segunda Guerra Mundial, mas com apoio maciço da população e alistamento espontâneo de 45 mil civis. Além do depoimento de historiadores e sobreviventes, que questionam a ideia ainda em voga de que o levante tinha intenções separatistas, o filme é rico em documentos filmados de manifestações populares e das tropas nas principais frentes de batalha. O destaque fica para uma cena que mostra um grupo de soldados brincando com a famosa matraca, engenhoca criada para imitar o som de metralhadoras e dar a impressão de melhor armamento para um grupo de revoltosos, muito inferior, em número e poderio bélico, ao Exército Nacional.


1935 - O Assalto ao Poder

Dividido em duas partes e registra um dos momentos mais marcantes da utopia comunista no País. Por meio de depoimentos de historiadores e, em especial, do lendário "Cavaleiro da Esperança", Luiz Carlos Prestes - em entrevista de 1983 -, o filme registra os três levantes militares que, no fim daquele ano, tentaram derrubar o governo de Vargas. Analisa os acertos e erros dos revoltosos e os motivos para a derrota do movimento que culminou com o recrudescimento da repressão varguista, implacável com os insurretos que foram duramente caçados, presos e torturados, após o fracasso da insurreição. O DVD traz como extras uma série de fotografias históricas do período.
 
  • Diretor: Eduardo Escorel
  • Elenco: Edwin Luisi, Paulo Betti - narração - Antonio Candido, Boris Faustgo, Paulo Sérgio Pinheiro, William Waack - entrevistados
  • Ano / País de Origem: 1990, 1992 e 2002 / Brasil
 
  • Tipo: Novo
  • Formato de tela: Widescreen  /  Standard
  • Idioma de áudio: Português 
  • Idioma de legendas: sem legendas
  • Extras:  Menu Interativo, Seleção de Cenas, Fotos da Era Vargas
Opinião dos consumidores
  •   00% | 0
  •   00% | 0
  •   00% | 0
  •   00% | 0
  •   00% | 0
Avaliação geral: 0 de 5 estrelas Ver todos os comentários

Este produto ainda não tem avaliações.
Tecnologia
iSET - Plataforma de E-commerce para criar loja virtual
Plataforma de E-commerce para criar loja virtual